...

...

quarta-feira, 27 de setembro de 2006

Supermercado

Não consigo entender nem metade do que escreveste.
(…Ovos, azeitonas, tomate, cenoura, alface, feijão verde, cogumelos,

A confusão é tanta, que nem a outra metade que
limão, laranja, fruta variada, morangos amor, iogurtes eu,
sobra, eu consigo entender.
iogurtes eu, iogurtes ela, pescada,
Mandaste-me ir comprar tudo o que estava na lista.
sardinhas, peixe espada, leite, feijão, cebolinhas frasco, maionese,
Telefonas-me. Esqueceste qualquer coisa que não vem
mostarda, chá ela, agua tónica eu, café, café mistura, papel higiénico,
mencionada na lista. Paro no corredor dos enlatados.
detergente loiça, máquina, detergente chão, papel cozinha, alumínio,
Não te lembras mesmo do que era. Fazes-me recitar
lâminas barba, pasta eu, pasta ela, sovaqueira eu, pensos, alfinetes,
o que vem na lista. Sim, recitar! Não entendo que
açúcar mascavado, ,açúcar amarelo, panela 2 a 3 litros, sumo laranja,
coisinha será essa, tão importante para ter de ler dois
farinha bolos, gelatina, arroz,azeite, vinagre, frango, vitela, fiambre,
palmos de lista!
queijo fatias, queijo ela,
Quase sem respirar, mas sem forçar o fôlego. Parado
pala carro, pilhas comando tv, pilhas lanterna, lâmpada quarto,
no meio das latas de atum,declamo entre um tom
lâmpada escritório, suporte banheira, recarga ajax, guardanapos,
entediante na parte dos detergentes, até a uma paixão
comida cão, comida gatos, escova, gotas frontline, almofadas alpendre,
desmesurada e efusiva quando passo pelos iogurtes.
corda estendal, pregos, molas roupa, cabo euro av 5m, caixas arrumação,
Apesar de extensa, termino-a.
latas atum, gelado baunilha, extracto de menta…)
Faz-se silêncio. Não te lembras. Continuas sem te lembrar.
Desgastas-me a paciência numa frase disparata no imperativo;

-Lê de novo!


Já bufo, e tu mudas de tom.
Ronronas do outro lado do telefone, e eu derreto.
Explicas-me que nos faz falta, sempre!
Sem grande espaço de manobra, nem querendo passar por
mau da fita, reinicio a minha epopeia do recital de lista.
(...Ovosazeitonastomatecenouraalfacefeijãoverdecogumeloslimão

Desta vez forço o fôlego. As palavras coladas assemelham-se
laranjafrutavariamorangosmatinaliogurteseupescadasardinhaspeixeespada
a um acordeão. A imagem assalta-me a ideia, sorrio.No fim,
leitefeijãocebolinhasfrascomaionesemostardacháelaáguatónicaeucafé
novamente o silêncio. Tu, nada! Torno-me automaticamente
cafémisturpapeldetergenteloiça...)
num enorme pontode exclamação, mesmo um pouquinho
antes de me sentir frustrado e aborrecido.

E dizes-me, quase que a segredar, na tua voz de primeiro encontro;

- É algo que nos faz sempre falta. Não é que nos falte, mas dá
sempre jeito. Lembrei-me agora! Não é para comprares, mas
sei que me vais trazer!

- Mas o que é??

- Amor!


Soltas um sorriso de travessa e desligas-me na cara. Fico
(Vou para casa sem pensar duas vezes, beijar-te, encostar-te a mim,
parado, entre as latas de atum,feliz por seres assim.
agarrar-te e dizer que és minha, quero sentir-te assim amor, com força!
Abandono a viatura. Vou para casa dar-te qualquer coisa,
vais pagar por me teres obrigado a recitar a lista duas vezes, vais pagar!
enquanto lês a lista, pelo menos duas vezes de seguida.
não há nada para comer, alguém se esqueceu de completar a lista!)

6 comentários:

Anónimo disse...

espero que continues a surpreender [nos] com estes textos =)

boa ideia*

A.

Boganga disse...

Só o amor, um grande amor, é capaz de fazer coisas tão simples :)*

.*.Magia.*. disse...

E se...

Loira disse...

Vinha aqui para me vingar do "gorda" chamando-te "feio"... mas depois de ler o texto já não consego! Raisparta o amor!

Tania disse...

Por acaso desta vez gostei.

A. disse...

...fiquei pegada a estas
palavras.únicas.bravo.










maravilhosa coincidência...já dancei um bailado com esta música.Present tense.um bom gosto.
:)