...

...

terça-feira, 4 de dezembro de 2007

Carta De Um Amor D'aqueles...

“Amor, chamo-te assim desde que entraste por aquela porta. Leve, sorridente, no perfume de bela que és. Demasiado seria pensar na tua paixão como a razão de olhares para mim. Quero-te, quero-te muito.

Amor, chamo-te assim, cantando-te todo o nome que me és, meu amor. Escrevo com a certeza de que nenhuma palavra fará jus a ti. És tão mais que qualquer mortalidade. Perdi a noção de ser apenas alguém, indiferente, translúcido, no momento em que me sussurraste em toda a tua sede de mulher, que me querias, ali no momento.

Amor, sou-te por inteiro, de igual partilha, teu. Não te sinto apenas como posse, és a oferenda aos olhos de um homem feliz e completo. Tenho-te aqui, vivendo dentro de mim, contando cada hora para te reencontrar. Desejo beijar os teus olhos, a tua pele, mergulhar em ti, morrer e renascer.

Amor, porque o somos, unos. Amantes que nos tornamos em cada toque, no teu cabelo, na tua boca. Sentir no calor da paixão, toda a tua vivacidade espelhada no teu olhar. Tece a pessoa que sou, nos teus beijos, a fio de ouro do teu respirar. Alteram-se os sentidos apenas de soletrar o teu nome, quero-te, quero-te mais.

Amor, sinto a ausência do agora, do quase pranto enlutado, embrulhado nesta distância dos corpos. Aparta-se a luz, esquecem-se as velas apagadas no cantinho de nós que chora. Guarda-se a voz nos hinos velados, chamando por ti, o teu nome, até adormecer. Amor, quero-te mais depressa que o dia.

Voltarei breve, de pressa que não espera, com fome de não te sentir. Amanhã estarei em ti, por ti, para ti. Na rubra pele de paixão, quero-te no fogo de nós.”


Amor, mulher minha. Escrevo-te com esta dor que me invade de cada vez que a caneta fustiga o papel. Por cada lágrima convertida em tinta, em nódoa eterna. Por tanto te amar, assim como agora, por já nem saber o que te dizer mais. Doendo, confesso-te esta fraqueza de mim, a minha pena maior, decapitando o coração, por todas aquelas palavras não serem de minha autoria. Farei das palavras do outro as minhas.
E para quê se amar-te é doer-me...

19 comentários:

Vertigo disse...

Por reflexão,opto por não responder aos comentários ao post do abraço.

Sei que fumas.sei que bebes.que és mal disposto.que és bem disposto.que estás farto de ti.farto dos outros.E SIM,claro que vale a pena!!!!!

Ah,e escreves assim...de uma maneira..arrepiante ;)

Beijo

Stella Maris disse...

Lindo!

mariazinha disse...

porque sim, talvez. Há coisas que é melhor nem perguntar "para quê"...
Bela, como sempre, a tua escrita.
beijo*

Simone disse...

E o Amor, essa grande epopeia, teria o mesmo sabor se não doesse? Teria a mesma magia se tudo fossem certezas? Seria Amor, se nele não coubessem todos os outros sentimentos em chamas numa mesma caldeira?

Adorei o texto, e a música por aqui também anda excelente :-)

Beijinhos

A Túlipa disse...

Novamente memorizado..

Bela demonstração de amor.

'

F. disse...

Todas as cartas de amor são ridículas...

(Também)Não me importo.

bjos**

Rui Caetano disse...

pois amar é também sofrer. QWuando se ama alguém existe sempre dentro de nós um enigma, uma inquietde que não podemos acalmar.
A ausência magoa-nos, a presença torna-nos eufóricos, mas com receios, em fim, amar faz doer, mas é o melhor deste mundo.

Aran disse...

Fantástico...
Só quando não se mata a sede é que a dor nos grita...
No momento, somente explode e aflora a paixão, o amar...
Amar doendo, depois amar sereno...
Um beijinho grande e bom fim de semana! Inté

A estranha disse...

Um Amor daqueles... Até parecer que as palavras se esgotam... E elas continuma a fluir imparáveis... mesmo que te doa, porquê parar?

Beijo-te

[[cleo]] disse...

O Amor é assim...
Um querer constante que quase ultrapassa os limites do racional...
Sim,amar também é sofrer... por querer em todas as horas do dia e da noite, mas...

Belíssima carta que escreveste tão cheia de sentir teu!

Beijo

MalucaResponsavel disse...

gst qd escreves assim. d arrepiar. bj

RC disse...

E doer-te é amar-me?

Xi.

ContorNUS disse...

intenso...temperado...real

M. disse...

Ainda existe... ainda existe..
E eu que não acredito..

Maria Ostra disse...

Oh!
Um romantico...ainda (os) há?
É bom vir aqui sentir a carne e o sangue... o que a razão desconhece das razões do coração... :)

Pérola disse...

Amar é doer por vezes, sim...
Mas também é tantas coisas boas.
Pensa nessas apenas.
Um dia encontras esse amor.

Beijocas!

RedLightSpecial disse...

Amar doi... bem fundo... mas traz tanto, tanto, tanto de bom!
Este texto do "outro" é lindo... as tuas palavras intensas, muito.
Beijo... grande.. intenso... sem dor!

Maria disse...

hum... pois sim. mas desmistificando esse sentimento universal, há coisas que fazem doer mais mas nem nos detemos 5 minutos a pensar nisso... sempre escolhemos o caminho mais fácil e mais óbvio!

lili disse...

e se te disser que me irrita ler-te porque me surpreendes sempre... qualquer que seja a velocidade, a cor, o sabor consegues sempre encontrar com as palavras o fundo da beleza!!

muito bonito este teu Amor*