...

...

quinta-feira, 2 de novembro de 2006

Tão Certo Como Hoje

Hoje, na tua ausência, fiz de mim uma sombra que se esconde na mesma. Não dei permissão à minha vontade de rasgar as nuvens.

Hoje, no momento em que me senti disperso, fiz votos de um silêncio, inalterável ao longo do dia. Não demonstrei qualquer emoção frente ao espelho, fechei os olhos. Pensei tanto em ti para conseguir aguentar.
Hoje, dia em que o nada tanto se instalou entre as paredes. O fresco do tempo que me invade, pela janela aberta. Imagino-te aqui, beijando-me na mesma frescura de ti.

Hoje, entreti-me a contar os dias que já passaram, mais os que estão ainda por passar. Arrastei-me junto com as nuvens. Fui com elas, até onde os olhos me permitiram.
Hoje, dia em que apaguei o teu nome da parede. Pintei-o de novas cores, de mesmo gesto.
Hoje... Hoje... o tanto que Hoje foi, mesmo sem me sentir nada de especial.
Hoje, não me apetece viver a noite. Desejo que Amanhã chegue, para que se torne Hoje.

Hoje, a tua voz congelada no timbre, na graça que traz o teu nome ao meu sorriso. Falei-te de mil coisas, preenchendo o tempo em que tudo o que se possa dizer, não compensa apenas ouvir-te no outro lado.
Hoje, nos movimentos pautados por um emergente desconsolo e desprezo pelo terreno. Risquei o fio de horizonte, na tentativa de chegar a ti... a ti... a ti...

Hoje, na força do vento que me ascende, até ti. Minto sempre que te digo que está tudo bem, mas eu sei que vai.
Hoje, tanto que o teu abraço seria tudo o que necessitava, para enfrentar esta condição, a de Hoje.
Hoje, perdi-me nas horas da manhã. Fui respirar-te por todo o lado. Por muito que o peso do caminho me vergue, estarei sempre no início. Esperando para te trazer de volta para casa.

Hoje, com honra de te sentir, vesti-me de saudade.

8 comentários:

Boganga disse...

Leio-te,
como se as tuas palavras
fossem as mais belas de sempre.
Leio-te e penso
que se não fosses tu, meu amor
eu não seria eu,
seria apenas a metade de mim.

Anónimo disse...

e ela disse: o dia de hoje será igual ao de ontem e ao de amanhã. tédio sobre tédio - entre o vazio da tua ausêcia.

bom fds ;)*

A.

m disse...

ás vezes também minto muito quando digo que está tudo bem.
estou raivosa comigo própria porque ultimamente nao consigo comentar-te como mereces...!!

Anónimo disse...

Hoje... é só mais um dia de saudade!

Aran disse...

Gostei de ler "Um pouco de mim", mas este... está espectacular, onde as palavras transmitem uma força interior... e as imagens... são fabulosas... Simplesmente deliciei-me... gostei!!! jinhos e inté

Melody disse...

Está brutal.
Beijos

A. disse...

Dias assim...
em que nos encharcamos da memória dos gesto que profundamente nos tocam.

...saudades tantas.Das que doem.

http://manefta.blogs.sapo.pt disse...

Há coisas que se partilham com um sorriso, aqui fica o meu. Ainda bem que vim cá ...hoje.

beijocas

Manefta