...

...

quarta-feira, 15 de novembro de 2006

Porto Mulher

Caiu a gota em mim, essa tua tão cheia de invulgar magia. Desperto na ânsia de me sentir entre as tuas pedras. Esvaído nas tuas vias, antigos caminhos por que me levaste, no teu passeio convidativo, entre ti.


Sonhei-te em tanto tempo, deixando de viver só em mim, a vontade de te abraçar. Vi no rosto que me mostraste, senhora antiga de histórias. Burguesa cosmopolita, acusa em cada lado, em cada esquina, o espírito de união e cerco. Braço com braço, mão com mão, a vontade em força. Valores de plebe, entregue no teu carácter de nação.


Abracei-te quando te senti entrar pelos meus sentidos. O teu sorriso de menina senhora, o profuso e antigo, a majestade que me és. Vestida do maior vislumbre, despi-te no primeiro instante. Eu quero ver-te sempre assim, na quente e rude nudez, feita de diferente sentir, diferente olhar.

As tuas tintas, o sabor da tua luz em escala cinza. Sinto o teu verbo, amar-te. O Verão de Outono no teu sublime enlace. A tua pedra, o teu ferro, a vidraça que se inclina para a água. Entendo porque me arrastas entre as tuas insinuantes curvas, toco-te no olhar. Sorrindo-te, apaixonado pelo teu cheiro de milhares vozes. De ti, das pessoas que vivem em ti, da pessoa que és. Completam-te, nesse teu jeito, no único que importa.


Gosto de te ver assim, completas uma parte diferente de mim, porque és diferente. Eu, que me perco a cada instante que me relembro. O comum que agora nos une, a empatia de pessoas que vive em ambos, algures.


Não toco na despedida, nunca existiu realmente. Um dia partirei e tu cá estarás, abraçando os próximos loucos amantes. Eu sou este.


O teu tesouro, o que trago constante no pensamento. Banhar-me no teu ouro pó. Cintila a dourado entardecer, o beijo que trocámos, as mãos enleadas, as que formam traços, nós de nós… para nós.

Ofusca-me a tua luz de noite, na tua escura parede, acusando o brilho de luar. Nosso, unicamente nosso.


Sussurro-te este nosso caminho secreto. Todo o teu corpo na cidade, todas as avenidas em ti… vejo toda aquela que me desvendaste. O nosso caminho é diferente, o nosso andar é outro, o ritmo de passeio inventámo-lo. As palavras de outro dialecto, algo que carregue o teu peso.


Não encontrei melhores palavras para te descrever, tudo o que sinto por ti. Sei que tu, cidade, me amas. Tu, mulher cidade. Lembro-me de ti, aos meus olhos és. E ser tem muita razão… de ser.
imagem: Marco Neves

15 comentários:

A. disse...

...Porto seguro.E basta.






Palavras que me tocam.
Cidade que me remexe por dentro.
Silêncio.Saudade...com toda a razão de ser.








Bem vindo...bem vindo...que bom.
Como escreves...bem.

.*.Magia.*. disse...

Mervelho alamapadado...
Intenso este escrito !
E assim fico...
Apenas sentindo
o que acabei de ler!

Porto Mulher ou Mulher Porto?
Não interessa!

Até outra mervelhice Gimaca!

Maria disse...

Se já existe uma "cidade menina e moça", chamada Lisboa, porque não invertarmos a matriarca, mulher madura e segura, misteriosa e sombria, com as rugas distantes de alguém que não soube fugir à responsabilidade de fazer nascer uma "nação". Uma vez mais... um beijo de parabens. Não resistindo à intensidade de suas palavras, quero que saiba que faz parte do link dos meus preferidos. Um beijo sde um "porto sentido"!

Boganga disse...

A cidade do encontro e da despedida....

marseven disse...

Magnífico retrato citadino!

Parabéns, meu amor...

~~ m a r ~~

Pandocha disse...

Ohhh...

Recordei-me dos meus tempos no Porto... identifico-me com o texto e com as fotos... as tuas palavras são um bilhete de ida!
Obrigada!

Morgaine disse...

estava farta de clicar aqui e ver o teu até breve. Como é bom reler-te aqui e entrelaçar-me neste labirinto que são as tuas palavras. O teu hino à cidade/mulher e à mulher/cidade é tocante. Saboreaste! E de que maneira...

Beijos

Anónimo disse...

olá =)

regresso em grande! welcome back ;)***

A.

p.s.: boa escolha musical

CK disse...

Obrigada :)

Aran disse...

Magnifico!!! Não podia ser bem mais eloquente que estas palavras... vinda do fundo da alma, em nome de uma outra alma, Porto... porque ela nos mexe, toca e fala à alma... Kiss...

A. disse...

...boa música.uma paz.que bom.

A estranha disse...

Estou quase a chegar lá... Esta cidade começa, finalmente, a fazer parte da minha história. Mas, tenho que admitir, é um amor tardio.

Beijo

.*.Magia.*. disse...

Porto...de abrigo...mulher !

KIsses relampagados alampadadamente mervelhagicos

Cheers

Paulo Sempre disse...

Ai esta saudade do céu...esta ausencia de viver...

r. disse...

a mulher que e cidade
a cidade que e mulher
excelente regresso*