...

...

terça-feira, 30 de março de 2010

marginais do acaso

Guarda-me um pouco, nessa noite que trazes na pele. Guarda-me, guarda-me, guarda-me em tantas e repetidas vezes, e que me cales para sempre. Como os teus beijos me bastavam para acalmar esta cegueira de sentir o inconformismo de não te ter por inteiro.


Nunca te liguei de volta, nem que voltas teria de dar para o fazer. E guarda-me, guarda-me, guarda-me numa repetição de voltas, sem que retome a volta de onde vim. Que fosses de novo aqui, aqui, e mais aqui... onde me deixaste descompensada.


Caminhamos sozinhos, porque somos corações voláteis um ao outro, ao tempo inventado entre nós. Talvez nem tempo tenha passado na verdade. Porque talvez nem verdade tenha existido. Foste magia, cada sinapse, cada bater de asas quando me transformavas. Cada nota perdida, velada em cada prosa transformada num gesto. Percorrias-me assim, perdido em desvelo. Oceano que me cerca, e cerca-me, cerca-me com o teu abraço de uma vez por todas.


Sempre nos fez bem pensar assim, que a solidão só nos faria bem. Estarmos a sós, mas só um resta de nós. A cada canto da casa. Em cada recanto meu. A cada singularidade de um dia teres sorrido para mim desde esses teus olhos ao teu coração.


Somos especiais, dizias-me assim, meu amor, todas as frases terminavam da mesma forma. Meu amor, meu amor, meu amor... somos apenas marginais do acaso. Perdento-te ao início de uma rua, reencontrando pedaços de ti noutra, e noutra, e numa outra que nem sabia existir na tua vida.


No fim, e por fim, sem finitude ou compaixão pelo mundo, o beijo da sentença. As tuas mãos macias, embalavam-me noutro beijo roubado. E beija-me, beija-me, beija-me todas as mais vezes como sendo o primeiro e único.


Devemo-nos ao fogo, no entanto queimámo-nos em separado. Não sei falar porque não me sabes ouvir. Não conheço outro alguém, e tu, tu, tu e só tu finges desconhecer quem sou.


Não está bem. Nada fica bem. Nada estará bem, mas tudo bem, enquanto houver tempo para bater cada minuto que nos separa, nesta única folha de papel.


Hoje escrevi-te. Carreguei-te nas estrelas e desci pela tinta, no que me tinge em lágrimas de te olhar lá tão alto. Brilhante, sempre o foste. Tenho tantas saudades de quem fomos, mesmo existindo mais para além deste pesar. Pensar que me olhas do teu lugar, ali para cima, onde te pendurei.


Hoje, como na última noite, espero por ti à porta de casa. Aguardando, esperando que venhas, que te venhas e me amarrotes para o lado. Já não precisas de dizer que me amas, quando me chamas assim nessa voz quente. Nem um pouco ficas, quando nada mais tens para me contar ou medir em mim.


Apenas que não chova, que não chova e não chore o céu por mim. Lê-me apenas desta vez, na última frase que te desejaria dizer para sempre. Repetir-me por ti, vezes, vezes, e vezes sem conta.

23 comentários:

Rita disse...

Wow... os teus textos deixam-me sem respiração..
Parabéns!

Beijinhos

Rita

Bé David disse...

Esgotas o sentido das palavras...
aquelas que nunca se conseguem dizer...

O nada que és..

o todo que somos,

que fomos...

Sentir-te em cada sílaba...

Mar|C|avilhoso...

:)


Reencontrar-te!*

farfalla disse...

Sempre nos fez bem pensar assim, que a solidão só nos faria bem. Estarmos a sós, mas só um resta de nós. A cada canto da casa. Em cada recanto meu.

Devemo-nos ao fogo, no entanto queimámo-nos em separado.

Lê-me apenas desta vez, na última frase que te desejaria dizer para sempre.


http://www.youtube.com/watch?v=MFwXaPIaa1o

*

Dark angel disse...

( ainda não preparei o meu coment, só quis fazer um parêntesis por causa da música, este é o meu parêntesis, que acaba em reticências...)

Estranha pessoa esta disse...

Não vou dizer absolutamente nada. Porque há linhas e textos e sentires aqui e aqui e aqui e ás vezes ali, simplesmente asmáticos. Qualquer acrescento seria respirar.
E isso deixo para ti.
S[C]em conta.

Matilde Quintela disse...

Soberbo.
Começa de mansinho e acaba, fazendo-nos desejar mais.
Por isso, eu é que devo dizer:
Parabéns
:'D

farfalla disse...

Bom dia =)
http://www.youtube.com/watch?v=McDgDlnDX0Y

cláudia disse...

adoro aquilo que escreves, irei seguir :)

Joana Polónia disse...

desejo que existam muitas Rosas no mundo :)

farfalla disse...

Boa Tarde *

http://www.youtube.com/watch?v=8qZAtdvhX40

farfalla disse...

Boa Noite*

Mentiras Free :)

http://www.youtube.com/watch?v=-hMIMouw3BA

farfalla disse...

Boa Noite*

Mentiras Free :)

http://www.youtube.com/watch?v=-hMIMouw3BA

Catarina A. Araújo disse...

Obrigada (:

gostei muito do texto, mesmo! cada linha, cada paragrafo.

Táxi Pluvioso disse...

Também me devo ao fogo, é o que eu digo, depois de todo o bairro saber, fogo! ela andava com sicrano :-))

Boa Páscoa

Estranha pessoa esta disse...

Envıa ventıl. Aquı o tabaco e' manhoso. E estes pc2s de merda nao abrem o hotmaıl. Em compencaşao ha' gengıbre. (mas sem sal)

Cecília Martinho disse...

Gostei das palavras, que ficam ainda melhores quando acompanhadas por Scout Niblett.

Nanda disse...

Adorei... Faz me lembrar vidas vividas que já não voltam mais.

Nanda disse...

Adorei... Faz me lembrar vidas vividas que já não voltam mais.

eueuemaiseu disse...

Gostava de saber exprimir-me como tu e ter todo este talento para a escrita. PARABENS! Vou voltar.

farfalla disse...

http://www.youtube.com/watch?v=NNfWC4Sgkcs

baci

farfalla disse...

arrasto o cobertor velho e gasto até à cama para onde ainda não consigo subir sem ajuda... sento-me no chão enrolada nele... brinco com a minha orelha e ao som da Mirah, adormeço ao desejar-te uma Boa Noite *

http://www.youtube.com/watch?v=0nC_50LQpS4

farfalla disse...

Bom Dia =)

http://www.youtube.com/watch?v=T8AvtYJDBoA

farfalla disse...

até que ela chegue
http://www.youtube.com/watch?v=LtNFQ7RJbaQ

**