...

...

terça-feira, 24 de agosto de 2010

sal|iva[me]

Aqui e agora, como se nada mais tivesse impacto na minha saudade, não ser esquecida, mas antes escrita na saliva em que me gasto. E como gosto, moldado ao feitio do vento que me seca a boca e me devolve à terra, descrever-me nos pequenos tons deste aperto. Inquietante, a redoma de uma espécie devolvida aos próprios braços.

Destes laços que não aceito. Dessas lágrimas que não trago. Daqueles olhos que se despedem. De uma coisa qualquer, que funda a alma à pedra, a uma mordaça glosada de tanto me repelir a voz.

Aqui e agora, oiço-me entre as paredes que me deixas tocar, a transparência de abrir os olhos e cegar-me nos desafortunados mares dos teus gestos. Faz-me o suspirar tamanho mal ao sangue, oxigenando o que desejo calmo e em silêncio.

De um orla abraçada ao manto de prata, aos cantos expostos de um querer dito mormente em lábia. Esta saliva que o tempo rouba, nos olhares encadeados por sorrisos, nos corpos dispersos pelo areal, oriundos de um aperto e términos no abraço.

Aqui, deste preciso lugar em que o agora se repete, não me servem as mãos para acenos, nem as palavras para desnudar o sentimento. Seja a vontade uma aliança das marés, porque destes horizonte sem fim, de nada se farta este tanto querer.

14 comentários:

Bé David disse...

Salivas-me a boca

em sede de palavras

de toque de midas

sempre mágico(as)!

Assim és :)

Bé|jo*

Luiza Maciel Nogueira disse...

lindo demais!

beijo

A merceeira disse...

...a leveza de um eco
repetido,
sem palavras...
para além dos sonhos,
preenchidos,
até que sejam reduzidos
a um único desejo.

A Minha Essência disse...

"Seja a vontade de uma aliança das marés, porque destes horizontes sem fim, de nada se farta este tanto querer."

... Que procura num apelo gritante de toque.

Suricat disse...

As vezes gastamos saliva a mais com palavras que não interessam. Estas tuas valem a pena. Adorei

Sex na Cidade disse...

profundo, as always!

Estranha pessoa esta disse...

Sinto.

Dark angel disse...

Onde o ontem e o hoje se fundem, construindo o amanhã. Salivar o tempo e condensar as palavras, que amortecem com os minutos que constituem os dias, nas saudades instaladas.
Terminal vida.
Bj*

Rita Lys disse...

Sal|ivo[te]

Vera, a Loira disse...

Tão lindo...

Vera, a Loira disse...

Tão lindo...

MissBlueBuble disse...

Mágico!

Selo para o Sr. Marco no meu blog!
=)*

A Minha Essência disse...

Lampâda mervelha chamado ao Roupa Prática! ;)

Estranha pessoa esta disse...

fdsifjs ggfjg

fgsgfgkfslgfskgjrogrigw bvnbfnddfjbkdbdfnbb
bfdbkldfbdf
bdflbdfbkdfb
dbfbdfbdfkbgfkbjgbhdg

EsPuMa