...

...

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Insatisfeito

É triste chegar a um ponto tão insípido como este. Nada me ocorre pelas veias, mesmo nos momentos a sós, e tantos são..
Uma revoltazinha faz-se sentir aqui fundo, mas sem que passe disso. Uma coisinha qualquer tenta fazer-me chegar à razão.
Volta, gigante adormecido que nas palavras vives..
..que só nas palavras existes
..que a sós nas palavras te encontras
e reencontas
e recontas
e te esqueces
e... e... e é aquele nó na garganta
quando sentes em cada letra que mostras à luz
à incandescência da tua descida
...
a qualquer coisa, enfim.
...e entre a estagnação aguda do tempo, algo fiz sem que nada fosse novo.
Voltarei sim.

10 comentários:

H4rdDrunk3r disse...

Estás de partida?

Maria disse...

Isto sim é... "poizia"!

Matilde Quintela disse...

Eu tento, e agarro-me á vida com unhas e dentes, mas ela insiste sempre em fugir.
A música é maravilhosa e o vídeo.. O vídeo é magnífico.

Matilde Quintela disse...

Ps: O poema deixou-me sem palavras.

Primavera disse...

I can't get no satisfaction...?


:)*

Maria disse...

J´´a agora... Não há nada maior que o NADA. E mesmo quando NADA possa acontecer, é TUDO o que te deve acontecer.

Estranha pessoa esta disse...

E que volta.?

Dark angel disse...

Há alturas em que o vazio tem que existir, para que se possa voltar a encher. A densidade leva-nos à exaustão, é necessário repor energias... não concordas?

Dark angel disse...

Fuck, não consigo deixar de ouvir esta música no meu cérebro...

Dark angel disse...

Let me up...